Entre planos e enganos

Estava fazendo algo que não me lembro o quê, por estar um pouco longe; estava a pensar o quanto deveria ajuntar para dar entrada numa casa no próximo ano. Foi quando me sentei no primeiro objeto sentável acerca de mim, e esfregando fortemente as mãos sobre o rosto constatei: Eu não quero comprar uma casa.

Se eu pudesse, eu fugiria com os ciganos, ou com algum bando de pássaros selvagens emigrando para algum outro planeta. Poderia ficar para sempre deste modo, vagando por aí, tentando viver ao invés de sobreviver…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s