Pelas ruas desta cidade

Comecei a entregar currículos às 15h. São 19h. Minhas pernas doem. Meus olhos latejam. O vento gelado desta noite é um afago no meu corpo quente e suado. As ruas estão quase vazias, aproveito a intimidade e fecho os olhos me rendendo à brisa que confronta meu cansaço. E ouço gritos: “-Moça, moça! Segura ele! Segura ele!”. Olho para trás assustada, um cachorro disparado passa por mim e no mesmo desespero, um menino não muito maior que o animal, com pés descalços e roupas rasgadas. O cachorro se joga em meio da Visconde de Guarapuava, em pleno horário de pico. O sinal está aberto. O menino não pensa duas vezes e faz o mesmo. Buzinas, freios, gritaria. O cachorro se imobiliza, o menino se agita. E volta para a calçada com o cão a salvo nos braços, ignorando a rua com o seu escarcéu. Ele volta dando doces sermões no animal e de repente me olha, percebendo que eu assistia sua cena, e diz: “-Você viu que cachorro louco! Se jogando no meio da rua!”. Eu o lanço um sorriso triste, e continuo ali, na frente daqueles dois, assistindo como se eu não estivesse ali. Ele agora abraça fortemente o cão e o enche de beijos. E volta a me falar: “- Pra onde é a Praça Barbosa?” Estendo o braço apontando para esquerda, e o garoto se vai, intercalando sermões com beijos no animal ainda em seus pequenos braços. Eu continuo ali parada, vendo o garoto ir, indo buscar a sorte perdida nas ruas desta cidade. E eu que pensei estar fazendo o mesmo, envergonho-me. O sinal mais uma vez se abre para mim, atravesso por fim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s