Intangível

Nunca sei se estás
Próximo
Distante
Neste teu eu trancado
Eu não te vejo.
Nunca sei se teu silêncio
É abrigo
Ou abandono
Neste teu vidro
Eu não te escuto.

Meu eu exasperado
Derramado
Inunda teus pés
Afoga tuas mãos
Dilui a tua pele
E eu não te sinto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s