Antítese

Sua calma é o avesso da minha febre
Sua pluma avesso de meus espinhos
Não sei se é choque ou alívio
Estar em seu lugar
Ou te trazer para o meu
Uma estranheza em minhas entranhas
Uma inflamação na pele
Qualquer coisa de intruso tem o seu ser
Invadindo meu controle, minha vontade,
Refazendo minha realidade
Sua brisa é o avesso de meu tufão
Seu olhar avesso do meu desespero
Não sei se me desfaz
Ou me reinventa
Se me expele
Ou me encontra
Sua leveza colide minhas ruínas
Como vento que dissolve rocha
Esfarelando
Libertando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s