Poeira

O cabelo molhado de alguém na rua
Uma música líquida
Aquele espaço vazio
Esparramado no silencio
Fragmentos do que eu já nem sei
Qualquer coisa assim moldada
Modificada
Como lembranças
Colho, apodo
Coloco num vaso
E amanhã já vai murchando
Minguando
Desmanchando
Sua voz que eu já nem lembro
Às vezes confundo com vento
Mas logo seca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s