Garoa

Eu tinha acabado de comprar o meu carro. Meu primeiro carro. Havia tirado carta há anos e não sabia dirigir direito. Esse foi o primeiro problema. Eu morava em São Paulo há pouco tempo e não conhecia a cidade direito. Esse foi o segundo problema. Em uma das minhas primeiras aventuras dirigindo pelas ruas intermináveis daquela cidade, uma amiga estava comigo. Ela se mudou para São Paulo comigo. De certa forma, ela se mudou para São Paulo por mim. Fui eu quem a arrastei àquelas ruas imundas e infinitas, as quais a gente nunca sabe direito pra onde vai e nem como volta, ou se volta. Nesse dia, que era noite, fomos à Pizza Hut da Marginal. Eu me perdi tanto, mas tanto, que a noite já se tornava dia. E era uma ordinária quarta-feira que se perdia na madrugada paulistana, tornando aquela cidade quase irreconhecível no meio daquele silêncio e anonimato. Entorpecida pelo cenário e pelas nossas risadas intermináveis, eu gritei: “A cidade é nossa! Só tem a gente aqui! Estou te dando essa cidade! Mais uma vez.” E foi assim que essa música, “Drizzel” nasceu.

Hoje bateu uma saudade muito forte de tudo isso; dessa amiga, dessa juventude e principalmente dessas ruas errantes de São Paulo, onde eu tanto me perdi e me encontrei.

Drizzle – Aline Castanhari

Anúncios